junho 30, 2022
Rua Cuiabá, 372, Centro - Camapuã/MS
Esporte

Na quinta-feira (2), objetos de Mércia foram encontrados no meio dos destroços. Eram fotos do casamento dela. Parentes dela disseram que também foram achados o celular e documentos dela.

O Campeonato Brasileiro 2022 não chegou nem à metade do primeiro turno e já é a edição dos pontos corridos com mais técnicos estrangeiros. Com a contratação de António Oliveira pelo Cuiabá, são 10 gringos na disputa, quebrando a marca de 2021, que teve nove.

Os portugueses, aliás, dominam a lista do atual Brasileirão, com metade dos nomes. Além de António Oliveira, temos: Abel Ferreira (Palmeiras), Luís Castro (Botafogo), Paulo Sousa (Flamengo) e Vítor Pereira (Corinthians). Os argentinos Antonio Mohamed (Atlético-MG), Fabián Bustos (Santos) e Juan Vojvoda (Fortaleza), o paraguaio Gustavo Morínigo (Coritiba) e o uruguaio Alexander Medina (Internacional), já demitido, completam o time dos gringos.

Pode-se dizer que quem abriu as portas para essa grande quantidade de técnicos estrangeiros no Brasil foram Jorge Jesus, no Flamengo, e Jorge Sampaoli, no Santos, terminando o Brasileirão daquele ano como campeão e vice, respectivamente, além de apresentarem um ótimo futebol. A partir de 2019, foram 22 treinadores diferentes de fora no principal campeonato do Brasil, com casos de um comandar mais de uma equipe no período, como Sampaoli (Santos e Atlético-MG) e António Oliveira (Athletico-PR e Cuiabá).

Desses 22 nomes, oito são da Argentina (Antonio Mohamed, Diego Dabove, Eduardo Coudet, Emiliano Díaz, Fabián Bustos, Hernán Crespo, Jorge Sampaoli e Juan Vojvoda) e oito são de Portugal (Abel Ferreira, António Oliveira, Bruno Lopes, Jorge Jesus, Luís Castro, Paulo Sousa, Ricardo Sá Pinto e Vítor Pereira), o que corresponde a mais de 72% da lista. Espanha (Domènec Torrent e Miguel Ángel Ramírez), Paraguai (Gustavo Florentín e Gustavo Morínigo) e Uruguai (Alexander Medina e Diego Aguirre) têm dois nomes cada desde 2019.

Confira abaixo os técnicos estrangeiros, ano a ano, desde 2003:

Brasileirão 2003 – Três técnicos
Darío Pereyra (Uruguai) – Paysandu
Roberto Rojas (Chile) – São Paulo
Darío Pereyra (Uruguai) – Grêmio
Brasileirão 2004 – Nenhum
Brasileirão 2005 – Um técnico
Daniel Passarella (Argentina) – Corinthians
Brasileirão 2006 – Nenhum
Brasileirão 2007 – Nenhum
Brasileirão 2008 – Nenhum
Brasileirão 2009 – Nenhum
Brasileirão 2010 – Um técnico
Jorge Fossati (Uruguai) – Internacional
Brasileirão 2011 – Nenhum
Brasileirão 2012 – Nenhum
Brasileirão 2013 – Nenhum
Brasileirão 2014 – Dois técnicos
Miguel Ángel Portugal (Espanha) – Athletico-PR
Ricardo Gareca (Argentina) – Palmeiras
Brasileirão 2015 – Três técnicos
Diego Aguirre (Uruguai) – Internacional
Juan Carlos Osorio (Colômbia) – São Paulo
Sérgio Vieira (Portugal) – Athletico-PR
Brasileirão 2016 – Quatro técnicos
Diego Aguirre (Uruguai) – Atlético-MG
Edgardo Bauza (Argentina) – São Paulo
Paulo Bento (Portugal) – Cruzeiro
Sérgio Vieira (Portugal) – América-MG
Brasileirão 2017 – Dois técnicos
Petkovic (Sérvia) – Vitória
Reinaldo Rueda (Colômbia) – Flamengo
Brasileirão 2018 – Um técnico
Diego Aguirre (Uruguai) – São Paulo
Brasileirão 2019 – Dois técnicos
Jorge Sampaoli (Argentina) – Santos
Jorge Jesus (Portugal) – Flamengo
Brasileirão 2020 – Sete técnicos
Eduardo Coudet (Argentina) – Internacional
Domènec Torrent (Espanha) – Flamengo
Jorge Sampaoli (Argentina) – Atlético-MG
Ricardo Sá Pinto (Portugal) – Vasco
Abel Ferreira (Portugal) – Palmeiras
Emiliano Díaz (Argentina) – Botafogo
Gustavo Morínigo (Paraguai) – Coritiba

Brasileirão 2021 – Nove técnicos
Hernán Crespo (Argentina) – São Paulo
Juan Vojvoda (Argentina) – Fortaleza
Abel Ferreira (Portugal) – Palmeiras
António Oliveira (Portugal) – Athletico-PR
Miguel Ángel Ramírez (Espanha) – Internacional
Diego Aguirre (Uruguai) – Internacional
Bruno Lopes (Portugal) – Bahia
Diego Dabove (Argentina) – Bahia
Gustavo Florentín (Paraguai) – Sport
Brasilerão 2022: 10 técnicos
Abel Ferreira (Portugal) – Palmeiras
Antonio Mohamed (Argentina) – Atlético-MG
Vítor Pereira (Portugal) – Corinthians
Gustavo Morínigo (Paraguai) – Coritiba
Luís Castro (Portugal) – Botafogo
Paulo Sousa (Portugal) – Flamengo
Fabián Bustos (Argentina) – Santos
Juan Vojvoda (Argentina) – Fortaleza
Alexander Medina (Uruguai) – Internacional*
António Oliveira (Portugal) – Cuiabá

Leave feedback about this

  • Quality
  • Price
  • Service

PROS

+
Add Field

CONS

+
Add Field
Choose Image
Choose Video