julho 2, 2022
Rua Cuiabá, 372, Centro - Camapuã/MS
Esporte

Longe do Maracanã há 42 anos, vovó do Vasco agradece carinho após viralizar: “Me senti criança”

Na vitória do Vasco por 1 a 0 sobre o Cruzeiro no último domingo, em jogo válido pela 12ª rodada da Série B do Brasileirão, a festa da torcida roubou a cena. Mais de 60 mil vascaínos empurraram o time e contribuíram para o resultado que diminuiu para quatro pontos a diferença para o líder do campeonato. Entre eles, uma senhorinha e o seu cartaz.

Dona Lúcia Marques Marvila, 89 anos, foi clicada por mais de um fotógrafo na arquibancada do Maracanã segurando o cartaz com os dizeres: “Passando o Dia dos Namorados com meu 1º amor”. A foto, publicada no perfil oficial do Vasco, viralizou antes mesmo de rolar a bola.

O ge encontrou Dona Lúcia, que mora em Bangu, Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela conta que, desde domingo, não para de receber mensagens e agradece pelo carinho de vascaínos e também de torcedores de outros times.

– O telefone não para mais na minha casa (risos) – conta ela, sorridente.

– Eu não sabia que ia chegar nessa idade com tanta gente querida em volta de mim. Foi muito bom. A emoção foi muito grande, estou muito feliz por entrar naquele Maracanã, ver aquele povo, ver vocês fotografando a gente – acrescentou.

Vascaína desde que se entende por gente, Dona Lúcia não vê um jogo do Vasco há bastante tempo, acabou se afastando por conta da violência nos estádios. Quando saiu a notícia de que o clube ia mandar o jogo no Maracanã, a família se mobilizou para levá-la. A vovó relutou num primeiro momento, mas depois aceitou o convite. Foi ao estádio acompanhada de um dos filhos e de quatro netos.

Foi a primeira vez de Dona Lúcia no Maracanã em 42 anos. A última ocasião em que botou os pés no estádio, pelo que se recorda, foi na visita do Papa João Paulo 2º ao Brasil, em 1980.

– Foi maravilhoso ouvir aquele povo gritar ‘”Vasco!”, e eu poder soltar minha voz, gritar, levantar meu cartaz. Ai, foi muita emoção, você nem calcula – disse ela.
– O pessoal de trás ficou admirando: “Como a senhora vibra, canta…”. Eu estava ali para isso, para aproveitar aquele momento. Fiquei muito feliz, depois de tanto tempo, por poder gritar “Vasco, Vasco!”, gritar pelo Nenê, por todos os jogadores. Foi uma emoção muito grande, não tem nem como explicar como fiquei. Me senti criança ali novamente, uma jovem – completou.

Por muito pouco, no entanto, Dona Lúcia não consegue entrar com o cartaz no estádio. Ela foi informada pela segurança que somente artefatos pequenos estavam autorizados, mas diz que contou com o bom senso da funcionária: “Quando eu abri (o cartaz), ela leu a mensagem e falou que não poderia não me deixar entrar, aí eu entrei”.

Leave feedback about this

  • Quality
  • Price
  • Service

PROS

+
Add Field

CONS

+
Add Field
Choose Image
Choose Video