Início Camapuã/MS Política 17/03/2018 – 04:57 O Prefeito Delano de Camapuã poderá ter o...

Política 17/03/2018 – 04:57 O Prefeito Delano de Camapuã poderá ter o mandato cassado: ele é acusado de fraudar licitação

129
0
COMPARTILHAR
O eleitorado de Camapuã/MS volta a conviver com as denúncias de má gestão do dinheiro público. O prefeito Delano de Oliveira Huber, (PSDB) considerado “o novo” eleito na esperança que mudaria paradigmas e colocaria o Município de voltar no eixo proporcionando o crescimento e a oferta de oportunidades para a população está às voltas com duas CPI (Comissões Parlamentares de Inquérito) instauradas na Câmara de vereadores e agora uma comissão processante na Câmara Municipal que poderá cassar seu mandato de prefeito.
Um ano e três mês após a eleição do prefeito os vereadores receberam no último dia 13 de março denúncia de má gestão do dinheiro público praticada pelo chefe do executivo. O prefeito poderá ter o mandato casado por improbidade administrativa.
A denúncia:
O denunciante afirma que há rumores na cidade que o prefeito autorizou a empresa “DE Conto Locação e Prestação de Serviços  LTDA”, a prestar serviços para o Município sem que fosse realizada a licitação, processo obrigatório para quaisquer serviços contratado pela administração pública.
O denunciante afirma ter sido forjado uma licitação através de Pregão Presencial n. 010/2017 onde foram convidados outros interessados, mas a empresa DE Conto Locação e Prestação de Serviços  LTDA foi à vencedora do certame para convalidar os atos praticados, ou seja, a licitação nasceu “o posterion”, simplesmente para realizar os pagamentos de serviços que já haviam sido executados. A licitação arranjada serviu apenas dar legitimidade ao pagamento do serviço que já havia sido executado, de acordo com a denúncia.
O processo foi engendrado depois que o departamento da Prefeitura responsável pelo pagamento  informou que não havia como pagar pelo serviço realizado em virtude da inexistência do processo licitatório.
O denunciante afirma ainda que a empresa foi criada à apenas oito dias antes da realização do processo licitatório. De acordo com as informações o alvará de funcionamento da empresa foi expedido no dia 28 de junho de 2017, um dia antes de ser realizada a licitação.
O pagamento para a empresa foi antecipado:
De acordo com as informações a Prefeitura antecipou pagamento no valor de R$ 423 mil que deveria ser realizado em 12 parcelas foi efetuado em três vezes.
A comissão processante:
A criação da comissão foi aprovada com o voto de cinco vereadores contra três votos de vereadores aliados do prefeito. O vereador Pedro Dias Pereira, (PR) o “Pedrinho Cabeleireiro” informou ao Hora da Notícia que o objetivo e investigar os pagamento, “queremos saber como foram efetuados”, disse.
Prazo para a comissão iniciar os trabalhos: 
A denúncia  será lida em plenário durante a próxima sessão conforme determina o regimento interno da Casa de Leis.
O vereador Pedrinho Cabelereiro foi indicado presidente da comissão, a vereadora; Marcia Pereira Avila de Lima, (MDB) será a relatora e o vereador Antonio Barbosa Corrêa, (PSDB) “Antonio Borracheiro”  (PSDB) membro.
A comissão tem prazo de cinco dias para iniciar os trabalhos disse o vereador Pedro.

É permitida a reprodução do conteúdo desta página desde que seja citada a fonte, Hora da Notícia. Todos os direitos reservados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here